domingo, 17 de julho de 2011

O Visitante

Batem à porta,não abro,arrombam,alguém sussurra em meu ouvido,estou deitado.
Tenho costume de dormir à tarde ,o sono é meu companheiro mais fiel,sempre me visita no mesmo horário e depois se vai ,sútil,mas hoje ,algo está diferente.
Sinto um pancada em meu peito,ouço gritos…outra pancada.
Sempre estive só, mesmo nas reuniões de família me sentia solitário,apartado dos acontecimentos,me escondendo das pessoas e por isso dormia,pois assim não tinha que distribuir sorrisos,nem mostrar falsa normalidade,algumas vezes deixavam escapar comentários de que deveria ser internado em alguma instituição.
Sinto a cabeça pesada e úmida,o burburinho aumenta,não consigo distinguir ninguém,tento abrir o olhos,estou tonto.
Nunca tive amigos e nem alguém pra dividir o cobertor,moro nesse apartamento de quarto e sala,pequeno,porém muito organizado,sempre fui metódico.
Consigo abrir meus olhos, olho pra cama,estou deitado ,os cabelos manchados de vermelho,as pessoas em volta gesticulando,a arma que eu comprei semana passada está ao meu lado,estremeço!!!
Hoje abracei novamente meu companheiro mais fiel, ele está diferente,sinto que ele não vai me deixar e nunca mais me sentirei sozinho novamente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postados Recentemente