sexta-feira, 27 de abril de 2012

JUÍZO


O que em mim não se pratica
Sou alerta, teço critica
Sou juiz, não tenho culpa
Ai de quem não se ajusta
Ilibada, minha conduta
Pois ao mostrar teus defeitos
Relevo os meus, pois sou “perfeito”
Nesta arte de julgar.
E quem sabe ao fim do verso eu consiga acreditar!
O que me mim não se pratica...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postados Recentemente