sábado, 17 de setembro de 2011

LITÍGIO



Anoitece em meu corpo os desejos
Cegueira da alma no ato de amar
Não saciam, são escusos teus beijos
Frialdade da índole não se deve aceitar

No peito cravaste a insígnia
Sórdida ferida túrgida na dor
Arrimei em tuas mãos minha vida
Em troca, a lagrima, o ódio e o rancor

Mas agora acabou teu prestigio
Ofereço-te o amaro desprezo
Traidora! neste mundo, te rejeito

5 comentários:

  1. Olá amigo! Sejá bem-vindo ao meu blog.
    Tenha uma ótima semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Vozes do coração machucado...

    Boa tarde! Vim retribuir a visita e conhecer o seu blog! Seja bem vindo ao meu tb!

    ResponderExcluir
  3. Chega a doer de tão alma que é esse poema.

    ResponderExcluir
  4. Sempre deixamos o desdém à essas pessoas que, certas vezes, nem isso merecem, hein?

    ResponderExcluir
  5. Caraca, essas palavras são como flexa em um coraçao! Tocam fundo os nossos pensamentos. Seus poemas sao fortes, do tipo que mechem com os nossos sentidos! Gostei demais do seu trabalho, muito bem feito! Parabens!

    ResponderExcluir

Postados Recentemente